Thursday, March 24, 2005

O Conhecimento e a Riqueza

Era uma vez, num reino distante, um jovem que entrou numa floresta e disse ao seu mestre espiritual: Quero possuir riqueza ilimitada para poder ajudar o mundo. Por favor, conte-me, qual é o segredo para se gerar abundância?

O mestre espiritual respondeu: Existem duas deusas que moram no coração dos seres humanos. Todos são profundamente apaixonados por essas entidades supremas. Mas elas estão envoltas num segredo que precisa ser revelado, e eu lhe contarei qual é. Com um sorriso, ele prosseguiu:

Embora você ame as duas deusas, deve dedicar maior atenção a uma delas, a deusa do Conhecimento, cujo nome é Sarasvati. Persiga-a, ame-a, dedique-se a ela. A outra deusa, chamada Lakshmi, é a da Riqueza. Quando você dá mais atenção a Sarasvati, Lakshmi, extremamente enciumada, faz de tudo para receber o seu afeto. Assim, quanto mais você busca a deusa do Conhecimento, mais a deusa da Riqueza quer se entregar a você. Ela o seguirá para onde for e jamais o abandonará. E a riqueza que você deseja será sua para sempre.

Existe poder no conhecimento, no desejo e no espírito. E esse poder que habita em você é a chave para a criação da prosperidade.

Wednesday, March 23, 2005

A DÚVIDA AO PÔR DO SOL

Contam que um alpinista, desesperado por conquistar uma altíssima montanha, iniciou a sua travessia depois de anos de preparação, mas queria a glória só para si, por isso subiu sem companheiros.

Começou a subir, mas foi-se fazendo tarde, e mais tarde, e não se preparou para acampar, ao contrário decidiu continuar a subir, e anoiteceu.
Caiu a noite muito escura na montanha: já não se podia ver absolutamente nada. Tudo era negro, sem visibilidade: a lua e as estrelas estavam escondidas pelas nuvens.

Subindo por uma escarpa, a apenas uns poucos metros lá de cima, resvalou e precipitou-se no ar, caindo a uma velocidade vertiginosa. O alpinista só podia ver velozes manchas escuras e a terrível sensação de ser sugado pela gravidade. Seguia caindo... e nesses angustiantes momentos, passaram-lhe pela mente todos os episódios felizes e não tão felizes da sua vida.
Pensava na proximidade da morte, sem se deter, de repente, sentiu o fortíssimo aperto da grossa corda que o amarrava da cintura às estacas cravadas na rocha da montanha.
Nesse momento de quietude, suspenso no ar, não lhe restou mais que gritar:
- AJUDA-ME MEU DEUS!!!
De repente, uma voz grave e profunda vinda dos céus lhe perguntou:
- QUE QUERES QUE FAÇA?
- Salva-me meu Deus
- REALMENTE CRÊS QUE EU TE POSSO SALVAR?
- Com certeza Senhor
- ENTÃO CORTA A CORDA QUE TE SUSTEM...

Houve um momento de silêncio; o homem agarrou-se ainda mais à corda.
Conta a equipa de resgate que no outro dia encontraram um alpinista pendurado morto, congelado, com as suas mãos agarradas fortemente à corda... ... ENCONTRAVA-SE APENAS A DOIS METROS DO SOLO ...

Tuesday, March 22, 2005

Parabéns para mim!!!

"Conte seu jardim pelas flores, nunca pelas folhas caídas.
Viva cada minuto de sua vida com se fosse viver eternamente.
E cada hora que passar não conte pelos ponteiros romanos de um relógio e sim pelo pulsar do seu coração.
E através de toda a sua existência conte sua idade pelos amigos que conquista e nunca pelos anos que vive."

Monday, March 21, 2005

A Fábula da Verdade

Uma tarde, muito desconsolada e triste, a verdade encontrou a Parábola, que passeava alegremente, num traje belo e muito colorido.- Verdade, porque estás tão abatida? - perguntou a Parábola.- Porque devo ser muito feia já que os homens me evitam tanto!- Que disparate! - riu a Parábola - não é por isso que os homens te evitam.Toma, veste algumas das minhas roupas e vê o que acontece. Então a Verdade pôs algumas das lindas vestes da Parábola e, de repente, por toda à parte onde passavaera bem vinda.- Pois os homens não gostam de encarar aVerdade nua; eles a preferem disfarçada."(Conto Judaico)

Friday, March 18, 2005

Nuvens

"As nuvens mudam sempre de posição, mas são sempre nuvens no céu. Assim devemos ser todo dia, mutantes, porém, leais com o que pensamos e sonhamos; lembre-se, tudo se desmancha no ar, menos os pensamentos."

Paulo Baleki

Thursday, March 17, 2005

Pregos

Era uma vez um rapazinho que tinha um temperamento muito explosivo.

Um dia ele recebeu um saco cheio de pregos e umatábua de madeira.
O pai disse-lhe que martelasse um prego na tábua cada vez que perdesse a paciência com alguém. No primeiro dia o rapaz pregou 37 pregos na tábua. Ja nos dias seguintes, enquanto ele ia aprendendo a controlar asua raiva, o numero de pregos martelados por dia foram diminuindo gradualmente.

Ele descobriu que dava menos trabalho controlar a sua raiva do que ter que ir todos os dias pregar vários pregos na tábua...
Finalmente chegou o dia em que ele não perdeu a paciência em hora nenhuma.Ele falou com o pai sobre seu sucesso e sobre como se sentia melhor em não explodir com os outros, e o pai sugeriu que ele retirassetodos os pregos da tábua e que a trouxesse ate ele.

O rapaz trouxe então a tábua, já sem os pregos, e entregou-a ao pai.Ele disse "estas de parabéns, meu filho, mas olha para os buracos que os pregos deixaram na tábua, ela nunca mais será como antes".Quando falas enquanto estas com raiva, as tuas palavras deixam marcas como essas. Podes enfiar uma faca em alguém e depois retira-la, mas não importa quantas vezes pecas desculpas, a cicatriz ainda continuara lá. Uma agressão verbal e tão violenta como uma agressão física.

Wednesday, March 16, 2005

As sete maravilhas do mundo

Um grupo de estudantes de geografia estudou as sete maravilhas do mundo. No final da aula, aos estudantes foi pedido para fazerem uma lista do que eles pensavam que fossem consideradas as sete maravilhas atuais do mundo. Embora houvesse algum desacordo começaram os votos:

1. Pirâmides do Egito
2. Taj Mahal
3. Grand Canyon
4. Canal De Panamá
5. Empyre State building
6. Basílica Do St. Peter
7. A Grande Muralha da China

Ao recolher os votos, o professor notou uma estudante muito quieta. A menina, não tinha virado sua folha ainda. O professor então perguntou à menina se tinha problemas com sua lista. A menina quieta respondeu: "sim, um pouco, eu não consigo fazer a lista, porque são muitos." O professor disse: "Bem, diga-nos que o que você tem, e talvez nós possamos ajudá-la." A menina hesitou, então leu, "Eu penso que as sete maravilhas do mundo sejam:

1. tocar
2. sentir sabor
3. ver
4. ouvir
Hesitou um pouco e então...
5. sentir
6. rir
7. e amar

A sala então ficou completamente em silêncio. É fácil para nós, olhar as façanhas do homem. Nós negligenciamos tudo o que Deus fez para nós. Que você possa se lembrar hoje, daquelas coisas que são verdadeiramente maravilhosas. "Faça tudo de bom que você puder para todas as pessoas que você puder, quando você puder."

Tuesday, March 15, 2005

As grandes pedras da nossa vida

Um consultor, especialista em Gestão do Tempo, quis surpreender a assistência numa conferência.
Tirou debaixo da mesa um frasco grande de boca larga. Colocou-o em cima da mesa, junto a uma bandeja com pedras do tamanho de um punho e perguntou:
- Quantas pedras pensam que cabem neste frasco?
Depois dos assistentes fazerem as suas conjecturas, começou a meter pedras até encher o frasco. Depois perguntou:
- Está cheio?
Toda a gente olhou para o frasco e concordou que sim. Então ele tirou debaixo da mesa um saco com gravilha.

Meteu parte da gravilha dentro do frasco e agitou-o. As pedrinhas penetraram pelos espaços que deixavam as pedras maiores. O consultor sorriu com ironia e repetiu:
- Está cheio?
Desta vez os ouvintes duvidaram:
- Talvez não.
- Muito bem!

E pousou na mesa um saco com areia que começou a despejar no frasco.
A areia filtrava-se nos pequenos buracos deixados pelas pedras e pela gravilha.
- Está cheio? perguntou de novo.
- Não! Exclamaram os assistentes.
- Bem dito! E pegou numa jarra de água, que começou a verter para dentro do frasco. O frasco absorvia a água sem transbordar.

- Bom, o que acabamos de demonstrar? Um ouvinte respondeu:
- Que não importa o quão cheia está a nossa agenda, se quisermos, sempre conseguimos fazer com que caibam mais coisas.
- Não! Concluiu o especialista:
- O que esta lição nos ensina é que, se não colocam as pedras grandes primeiro, nunca poderão colocá-las depois.
- Quais são as grandes pedras nas nossas vidas? Os nossos filhos, a pessoa amada, os amigos, os nossos sonhos, a nossa saúde, nós próprios.
Lembrem-se: ponham-nas sempre primeiro. O resto encontrará o seu lugar!

Monday, March 14, 2005

A pedra do Mestre

Havia uma pedra, bela e grande.
Um dia, alguém passou por ali e vendo a pedra, pôs-se a contemplá-la.Ficou por um longo tempo olhando os contornos da pedra, as flores que a rodeavam e o sol que parecia deixá-la mais bonita.Disse para si mesmo: esta é a Pedra do Mestre.Posso Vê-lo sentado sobre ela a sorrir para mim.E entrou em êxtase rapidamente.

Foi quando outra pessoa chegou e lhe falou:Estou há algum tempo a observar-te, de frente para esta pedra, e penso:o que pode levar alguém sorrir por tanto tempo a uma pedra e, sinceramente, não encontro um justo motivo que possa me convencer de que não estejas perdendo teu tempo.

Ele voltou-se para o estranho que invadira seu momento com o Mestre:Pois bem. Fico também pensando em algo:O que pode levar alguém a perder seu tempo tão precioso querendo entender algo que está somente para ser sentido.Eu olho para a pedra e vejo Deus.Eu olho para a pedra e sinto Deus.Tu olhas para a mesma pedra, mas nada vês e com tua mente julgas o que não estás sentindo.Para tornar-te um sábio, meu amigo, é preciso que vejas e sintas com o coração.Só assim poderás ver, mesmo numa pedra, a presença de Deus a abençoar-te.

Friday, March 11, 2005

Virtudes

«A virtude é mais perseguida pelos maus do que defendida pelos bons»
Cervantes in D.Quixote

Thursday, March 10, 2005

O limite do desejo

"Um imperador que era conhecido pela sua arrogância e pelo fato de só fazer o bem quando isso trazia bons dividendos políticos, resolveu dar uma volta pela capital do reino. - Vamos mostrar ao povo que sou um homem bom - disse aos nobres que o acompanhavam.

Caminharam por alguma ruas da cidade, seguidos pela multidão que sempre se juntava ao redor da comitiva, até que encontraram um mendigo. O que você precisa, pobre homem? Perguntou o imperador. O mendigo riu: Vossa alteza me faz essa pergunta como se pudesse satisfazer qualquer coisa! Escutou-se um murmúrio na multidão; aquele homem vestido de andrajos e com uma bolsa vazia ao lado, duvidara da capacidade de alguém tão poderoso! Irritado o imperador repetiu: O que você quer? Claro que eu posso satisfazer qualquer desejo seu, já que não deve Ter sido um homem muito ambicioso nessa vida! Pense duas vezes antes de me perguntar isso - insistiu o mendigo. O soberano agora mais irritado do que nunca , fez a pergunta mais uma vez.

Na verdade, o meu desejo é bem simples. Está vendo essa bolsa vazia que carrego comigo? Pois gostaria que colocasse alguma coisa aí dentro. Claro - disse o soberano. E virando para seu conselheiro, pediu para que enchesse a pequena bolsa de moedas. Escutou-se de novo o murmúrio da multidão, louvando a Deus por Ter colocado um homem tão generoso no comando do país. O conselheiro pegou o dinheiro que tinha consigo e colocou na pequena bolsa, mas ela parecia continuar vazia. Surpreso, o imperador pediu ajuda aos nobres que o acompanhavam, mas, mesmo depois de toda a comitiva ter esvaziado seus bolsos e sacolas, a bolsa não dava sinal de encher.

A história correu pelas praças e ruas das redondezas, e, a multidão aumentou cada vez mais. Agora era o prestígio do imperador que estava em jogo, e ele se virou para o ministro: Se precisar colocar todo o meu reino aí dentro, farei isso, mas não posso ser humilhado por um mendigo. O ministro foi até o palácio, trouxe diamantes, pérolas e esmeraldas, mas a bolsa não enchia. Tudo que era ali colocado parecia desaparecer num passe de mágica. A manhã se fez tarde, e a noite começou a cair. Metade do tesouro do governo já havia sido colocado na bolsa do mendigo, e nada. A essa altura, praticamente toda a cidade acompanhava a cena, mas não se escutava um só ruído; todos pareciam hipnotizados com o que estava acontecendo.

Finalmente quando a primeira estrela apareceu , o soberano ajoelhou-se diante do mendigo e admitiu sua derrota. Vim aqui para tentar convencer os outros que sou um homem generoso, e terminei convencido de que não tenho nenhum poder. Peço perdão pela minha arrogância, mas também peço que me abençoes, porque és um homem santo, capaz de milagres. O mendigo colocou as mãos na cabeça homem ajoelhado e o abençoou.

Basta um grão de amor para que o coração fique repleto; entretanto, nem toda a riqueza do mundo pode encher de alegria um coração com fome de amor. O imperador levantou-se e, antes de retornar ao palácio, perguntou ao mendigo: É esse o segredo de sua bolsa? Não. Minha bolsa é feita de desejo humano; por mais que tenha, sempre quer Ter mais e por isso permanece vazia."