Friday, April 29, 2005

Diz uma lenda árabe que dois amigos viajavam pelo deserto e, num determinado ponto da viagem, discutiram e um deu uma bofetada no outro.
O outro, ofendido, sem nada poder fazer, escreveu na areia:

HOJE, O MEU MELHOR AMIGO DEU-ME UMA BOFETADA NO ROSTO.

Seguiram adiante e chegaram a um oásis onde resolveram banhar-se. O que havia sido bofeteado, começou a afogar-se, sendo salvo pelo amigo.
Ao recuperar, pegou num canivete e escreveu numa pedra:

HOJE, O MEU MELHOR AMIGO SALVOU A MINHA VIDA.

Intrigado, o amigo perguntou:
- POR QUE É QUE DEPOIS DE TE MAGOAR, ESCREVES-TE NA AREIA E AGORA, ESCREVES NA PEDRA?

Sorrindo, o outro amigo respondeu:
- QUANDO UM GRANDE AMIGO NOS OFENDE, DEVEMOS ESCREVER ONDE O VENTO DO ESQUECIMENTO E DO PERDÃO SE ENCARREGUEM DE ESMOREÇER E APAGAR A LEMBRANÇA. POR OUTRO LADO, QUANDO NOS ACONTECE ALGO GRANDIOSO, DEVEMOS GRAVAR ISSO NA PEDRA DA MEMÓRIA DO CORAÇÃO ONDE VENTO NENHUM EM TODO O MUNDO PODERÁ SEQUER ATENUA-LA.

"Só é necessário um minuto para que simpatize com alguém, uma hora para gostar de alguém, um dia para querer bem a alguém, mas precisa de toda uma vida para que possa esquecê-la".

Thursday, April 28, 2005

Sómente o Amor

Senhor,
Ilumina meus olhos
para que eu veja os defeitos
da minha alma e venda-os para
que eu não comente
os defeitos alheios.

Senhor,
Leva de mim a tristeza
e não a entregueis a mais ninguém...
Enche meu coração com a divina fé,
para sempre louvar o vosso nome
e arranca de mim o orgulho e presunção.

Senhor,
Faz de mim um ser humano realmente justo...
Dá-me a esperança de vencer
minhas ilusões todas.

Planta em meu coração
a sementeira do amor
e ajuda-me a fazer feliz
o maior número possível de pessoas,
para ampliar seus dias risonhos
e resumir suas noites tristonhas...

Transforma
meus rivais em companheiros,
meus companheiros em amigos
e meus amigos em entes queridos...

Não permita
que eu seja um cordeiro
perante os fortes
nem um leão perante os fracos...

Dá-me, Senhor,
O sabor de perdoar
e afasta de mim o desejo de vingança,
mantendo sempre em meu coração
somente o amor.

(Autor desconhecido)

Wednesday, April 27, 2005

OS LENÇÓIS

Um casal, recém-casado, mudou-se para um bairro muito tranquilo. Na primeira manhã que passavam na casa, enquanto tomavam café, a mulher reparou numa vizinha que pendurava lençóis no varal e comentou com o marido:

- Que lençóis sujos ela está a pendurar no varal! Esta a precisar de um sabão novo. Se eu tivesse intimidade perguntava se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas!

O marido observou calado. Três dias depois, também durante o café da manhã, a vizinha pendurava de novo os lençóis no varal e novamente a mulher comentou com o marido:

- A nossa vizinha continua a pendurar os lençóis sujos! Se eu tivesse intimidade perguntava-lhe se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas!

E assim, a cada três dias, a mulher repetia o seu discurso, enquanto a vizinha pendurava as suas roupas no varal. Passado um mês a mulher surpreendeu-se ao ver os lençóis muito brancos a serem estendidos, e empolgada foi dizer ao marido:

- Veja, ela aprendeu a lavar as roupas, será que a outra vizinha lhe deu sabão, porque eu não fiz nada. O marido calmamente respondeu:

- Não, eu hoje levantei-me mais cedo e lavei a vidraça da janela!

E assim é. Tudo depende da janela através da qual observamos os factos. Antes de criticar, verifique se você fez alguma coisa para contribuir. Verifique seus próprios defeitos e limitações. Devemos olhar, antes de tudo, para a nossa própria casa, para dentro de nós mesmos. Só assim poderemos ter real noção do real valor de nossos amigos. Lave sua vidraça. Abra sua janela.

Tuesday, April 26, 2005

«Somos do tamanho dos nossos sonhos»

Fernando Pessoa

Ainda ontem pensava que não era

Ainda ontem pensava que não era
mais do que um fragmento trémulo sem ritmo
na esfera da vida.
Hoje sei que sou eu a esfera,
e a vida inteira em fragmentos rítmicos move-se em mim.

Eles dizem-me no seu despertar:
" Tu e o mundo em que vives não passais de um grão de areia
sobre a margem infinita
de um mar infinito."

E no meu sonho eu respondo-lhes:

"Eu sou o mar infinito,
e todos os mundos não passam de grãos de areia
sobre a minha margem."

Só uma vez fiquei mudo.
Foi quando um homem me perguntou:
"Quem és tu?"

Kahlil Gibran

Friday, April 22, 2005

Trabalho

Estava um alentejano sentado à sombra de uma árvore, pelas 10 horas de uma manhã de Verão, quando foi interpelado por um turista dos Estados Unidos da América que, em termos ríspidos, o admoestou por o bom do homem preferir descansar a uma hora do dia destinada ao trabalho.

O alentejano explicou-lhe ter um pequeno barco no qual se fizera ao mar ainda de madrugada, passara algum tempo na faina tendo conseguido pescar uns peixes que vendera num dos restaurantes da praia, por isso é que estava a descansar áquela hora da manhã.

Voltou à carga o norte-americano, tentando fazer-lhe crer tratar-se de um procedimento errado pois, caso voltasse ao mar, poderia pescar mais peixes e vendê-los a outros restaurantes, conseguindo obter mais dinheiro.

Meio surpreendido, o pescador perguntou-lhe para quê.

Se o fizesse, explicou-lhe o turista, poderia comprar outro barco, pescar mais peixe, conseguir dinheiro suficiente para pagar a pescadores que pescariam mais ainda, permitindo-lhe comprar até uma frota pesqueira.

Levantando a aba do chapéu, com os olhos semicerrados devido à luz do sol, o alentejano de Vila Nova de Milfontes voltou a perguntar para quê.

Descontrolado com uma pergunta a parecer-lhe eterna, o sobrinho do Tio Sam berrou-lhe que era para, alguns anos depois de tanto trabalho, já senhor de poderosa fortuna, poder finalmente descansar.

«E o que é que estou fazendo?» - perguntou-lhe o alentejano, no seu falar cantando, pondo fim à conversa.

Thursday, April 21, 2005

«Compreender e não fazer nada é não compreender»

Gandhi

O Valor de um Amigo

Esta história mostra a importância da amizade na vida de cada um de nós e merece uma leitura atenta. Foi nos enviada por um utilizador que quis partilhar connosco este bonito momento.

Um dia, era eu caloiro na escola, vi um miúdo da minha turma a caminhar para casa depois das aulas. O nome dele era Kyle. Parecia que estava a carregar os seus livros todos. Eu pensei: "Por que é que leva para casa todos os livros numa 6ª feira? Deve ser mesmo marrão". Como já tinha o meu fim de semana planeado (festas e um jogo de futebol com os meus amigos sábado à tarde), encolhi os ombros e segui caminho.

Conforme ia caminhando, vi um grupo de miúdos a correr na direcção dele. Eles atropelaram-no, arrancando-lhe todos os seus livros dos braços e empurraram-no, de forma que ele caiu no chão. Os seus óculos voaram, e eu vi-os aterrarem na relva a alguns metros de onde ele estava. Ele ergueu o rosto e eu vi uma terrível tristeza nos olhos dele. O meu coração penalizou-se por ele. Então corri até ele enquanto ele gatinhava à procura dos óculos, e pude ver uma lágrima no seu olho. Enquanto lhe entregava os óculos disse-lhe:

"Aqueles tipos são uns parvos. Eles deviam arranjar vida própria". Ele olhou para mim e disse "Obrigado!". Havia um grande sorriso na sua face. Era um daqueles sorrisos que realmente mostram gratidão. Eu ajudei-o a apanhar os livros, e perguntei-lhe onde morava. Por coincidência morava perto de minha casa, então perguntei-lhe como é que nunca o tinha visto antes. Ele respondeu que antes frequentava uma escola particular. Conversámos todo o caminho de volta para casa, e carreguei-lhe os livros. Ele revelou-se um miúdo muito porreiro. Perguntei-lhe se queria jogar futebol no sábado comigo e com os meus amigos, ele disse que sim. Ficámos juntos todo o fim de semana, e quanto mais conhecia Kyle, mais gostava dele. E os meus amigos pensavam da mesma forma.

Chegou 2ª Feira e lá estava o Kyle com aquela quantidade imensa de livros outra vez. Parei-o e disse "Vais ficar realmente musculado a carregar essa pilha de livros todos os dias!". Ele simplesmente riu, e deu-me metade dos livros. Nos quatro anos seguintes eu e Kyle tornámo-nos os melhores amigos. Quando estávamos a acabar o liceu, começámos a pensar na faculdade. Kyle decidiu ir para Georgetown, e eu ía para Duke. Eu sabia que seríamos sempre amigos e a distância nunca seria um problema. Ele seria médico e eu ia tentar uma bolsa na equipa de futebol. Kyle era o orador oficial da turma. Eu provocava-o todo tempo por ele ser um marrão. Ele teve que preparar um discurso de formatura. Eu estava super contente por não ter que discursar. No dia da formatura vi Kyle, estava óptimo.

Ele estava mais incorporado e realmente tinha boa aparência, mesmo com óculos. Ele saía com mais miúdas do que eu, e todas o adoravam! Às vezes eu até ficava com inveja. Hoje era um desses dias. Podia ver quanto ele estava nervoso por causa do discurso, então dei-lhe umas palmadinhas nas costas e disse: "Ei, vais sair-te bem!" Ele olhou para mim com aquele olhar de gratidão e sorriu: "Obrigado", disse ele. Quando subiu ao oratório, limpou a garganta e começou o discurso:

"A formatura é uma época para agradecermos àqueles que nos ajudaram durante estes anos todos. Aos pais, professores, irmãos e até talvez ao treinador, mas principalmente aos amigos. Eu estou aqui, para lhes dizer que ser amigo de alguém, é o melhor presente que se pode dar. Eu vou-lhes contar uma história."

Eu olhei para Kyle sem conseguir acreditar, enquanto ele contava a história sobre o primeiro dia em que nos conhecemos, ele tinha planeado suicidar-se naquele fim de semana. Contou a todos como tinha esvaziado o armário na escola, para que a mãe não tivesse que fazer isso depois de ele morrer. Ele olhou directamente nos meus olhos e deu-me um pequeno sorriso. "Felizmente fui salvo. O meu amigo salvou-me de fazer algo inominável".

Eu observava o nó na garganta em todos na plateia enquanto aquele rapaz popular e bonito contava a todos aquele seu momento de fraqueza. Vi a mãe e o pai dele a olhar para mim e a sorrir com aquela mesma gratidão.Até ao momento nunca me tinha apercebido da profundidade do sorriso que ele me dirigiu naquele dia.

Nunca substimes o poder das tuas acções, com um pequeno gesto podes mudar a vida de uma pessoa, para melhor ou para pior! DEUS coloca-nos a todos na vida uns dos outros para que tenhamos impacto sobre o outro de alguma forma, procura o bem nos outros. Vale a pena...

Wednesday, April 20, 2005

Divina Música

Divina Música!
Filha da Alma e do Amor.
Cálice da amargura
E do Amor.
Sonho do coração humano,
Fruto da tristeza.
Flor da alegria, fragrância
E desabrochar dos sentimentos.
Linguagem dos amantes,
Confidenciadora de segredos.
Mãe das lágrimas do amor oculto.
Inspiradora de poetas, de compositores
E dos grandes realizadores.
Unidade de pensamento dentro dos fragmentos
Das palavras.
Criadora do amor que se origina da beleza.
Vinho do coração
Que exulta num mundo de sonhos.
Encorajadora dos guerreiros,
Fortalecedora das almas.
Oceano de perdão e mar de ternura.
Ó música.
Em tuas profundezas
Depositamos nossos corações e almas.
Tu nos ensinaste a ver com os ouvidos
E a ouvir com os corações.

(Kahlil Gibran)

Tuesday, April 19, 2005

O Caminho

Um dia, um bezerro precisou atravessar a floresta virgem para voltar para o seu pasto.

Sendo animal irracional, abriu uma trilha tortuosa, cheia de curvas, subindo e descendo colinas...

No dia seguinte, um cão que passava por ali, usou essa mesma trilha torta para atravessar a floresta.

Depois foi a vez de um carneiro, líder de um rebanho, que fez os seus companheiros seguirem pela trilha torta.

Mais tarde, os homens começaram a usar esse caminho: entravam e saíam, viravam à direita, à esquerda, baixando-se, desviando-se de obstáculos, reclamando e praguejando, até com um pouco de razão...

Mas não faziam nada para mudar a trilha...

Depois de tanto uso, a trilha acabou por ficar uma estradinha onde os pobres animais carregavam com cargas pesadas, sendo obrigados a percorrer em três horas uma distância que poderia ser vencida no máximo em uma hora, caso a trilha não tivesse sido aberta por um bezerro.

Muitos anos se passaram e a estradinha tornou-se a rua principal de uma vila, e posteriormente a avenida principal de uma cidade.

Logo, a avenida transformou-se no centro de uma grande metrópole, e por ela passaram a transitar diariamente milhares de pessoas, seguindo a mesma trilha torta feita pelo bezerro... centenas de anos antes...

Os homens têm a tendência de seguir como cegos por trilhas feitas por pessoas inexperientes, e esforçam-se de sol a sol a repetir o que os outros já fizeram.Contudo, a velha e sábia floresta ria daquelas pessoas que percorriam aquela trilha, como se fosse um caminho único... sem se atreverem a mudá-lo.

Monday, April 18, 2005

O Amor

Então, Almitra disse: “Fala-nos do amor.”
E ele ergueu a fronte e olhou para a multidão,e um silêncio caiu sobre todos, e com uma voz forte, disse:

Quando o amor vos chamar, segui-o,
Embora seus caminhos sejam agrestes e escarpados;
E quando ele vos envolver com suas asas, cedei-lhe,
Embora a espada oculta na sua plumagem possa ferir-vos;
E quando ele vos falar, acreditai nele,
Embora sua voz possa despedaçar vossos sonhos
Como o vento devasta o jardim.
Pois, da mesma forma que o amor vos coroa,
Assim ele vos crucifica.
E da mesma forma que contribui para vosso crescimento,
Trabalha para vossa queda.
E da mesma forma que alcança vossa altura
E acaricia vossos ramos mais tenros que se embalam ao sol,
Assim também desce até vossas raízes
E as sacode no seu apego à terra.
Como feixes de trigo, ele vos aperta junto ao seu coração.
Ele vos debulha para expor vossa nudez.
Ele vos peneira para libertar-vos das palhas.
Ele vos mói até a extrema brancura.
Ele vos amassa até que vos torneis maleáveis.
Então, ele vos leva ao fogo sagrado e vos transforma
No pão místico do banquete divino.
Todas essas coisas, o amor operará em vós
Para que conheçais os segredos de vossos corações
E, com esse conhecimento,
Vos convertais no pão místico do banquete divino.
Todavia, se no vosso temor,
Procurardes somente a paz do amor e o gozo do amor,
Então seria melhor para vós que cobrísseis vossa nudez
E abandonásseis a eira do amor,
Para entrar num mundo sem estações,
Onde rireis, mas não todos os vossos risos,
E chorareis, mas não todas as vossas lágrimas.
O amor nada dá senão de si próprio
E nada recebe senão de si próprio.
O amor não possui, nem se deixa possuir.
Porque o amor basta-se a si mesmo.
Quando um de vós ama, que não diga:
“Deus está no meu coração”,
Mas que diga antes:
"Eu estou no coração de Deus”.
E não imagineis que possais dirigir o curso do amor,
Pois o amor, se vos achar dignos,
Determinará ele próprio o vosso curso.
O amor não tem outro desejo
Senão o de atingir a sua plenitude.
Se, contudo, amardes e precisardes ter desejos,
Sejam estes os vossos desejos:
De vos diluirdes no amor e serdes como um riacho
Que canta sua melodia para a noite;
De conhecerdes a dor de sentir ternura demasiada;
De ficardes feridos por vossa própria compreensão do amor
E de sangrardes de boa vontade e com alegria;
De acordardes na aurora com o coração alado
E agradecerdes por um novo dia de amor;
De descansardes ao meio-dia
E meditardes sobre o êxtase do amor;
De voltardes para casa à noite com gratidão;~
E de adormecerdes com uma prece no coração para o bem-amado,
E nos lábios uma canção de bem-aventurança.

(Kahlil Gibran)

Imagine

Imagine there's no heaven,
It's easy if you try,
No hell below us,
Above us only sky,
Imagine all the people
living for today...

Imagine there's no countries,
It isnt hard to do,
Nothing to kill or die for,
No religion too,
Imagine all the people
living life in peace...

Imagine no possesions,
I wonder if you can,
No need for greed or hunger,
A brotherhood of man,
Imagine all the people
Sharing all the world...

You may say Im a dreamer,
but Im not the only one,
I hope some day you'll join us,
And the world will live as one.

(John Lennon)

Friday, April 15, 2005

Se eu Deixasse

Se eu deixasse algum presente a você, deixaria aceso o sentimento de amar a vida dos seres humanos.

A consciência de aprender tudo o que foi ensinado pelo tempo afora.Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem.

Deixaria para você, se houvesse, o respeito àquilo que é indispensável:

Além do pão; o trabalho.
Além do trabalho; a ação.

E quando tudo mais faltasse, um segredo: o de buscar no interior de si mesmo a resposta e a força para encontrar a saída.

(Gandhi)

Thursday, April 14, 2005

A Carroça

Uma das grandes preocupações do nosso pai, quando éramos pequenos, consistia em fazer-nos compreender o quanto a cortesia é importante na vida.

Por várias vezes percebia o quanto lhe desagradava o hábito que têm certas pessoas, de interromper a conversa quando alguém estava a falar. Eu, especialmente, incidia muitas vezes nesse erro. Embora visivelmente aborrecido, ele, entretanto, nunca ralhou comigo por causa disso, o que me surpreendia bastante.

Certa manhã bem cedo, o meu pai convidou-me para ir ao bosque a fim de ouvir o cantar dos pássaros. Acedi com grande alegria e lá fomos nós, humedecendo os nossos sapatos com o orvalho da relva.

Ele parou numa clareira e, depois de um pequeno silêncio, perguntou- me:
- Estás a ouvir alguma coisa para além do canto dos pássaros?Apurei o ouvido alguns segundos e respondi:
- Estou a ouvir o barulho de uma carroça que deve estar a descer pela estrada.
- Isso mesmo...disse ele. É uma carroça vazia. Sabes porquê?
- Não, respondi intrigado.Então, o meu pai pôs-me a mão no ombro e olhou bem no fundo dos meus olhos, E disse:
- Por causa do barulho que faz. Quanto mais vazia a carroça, maior é o barulho que faz.

Não disse mais nada, porém deu-me muito em que pensar. Tornei-me adulto. E, ainda hoje, quando vejo uma pessoa tagarela e inoportuna, interrompendo intempestivamente a conversa, ou quando eu mesmo, por distracção, me vejo prestes a fazer o mesmo, imediatamente tenho a impressão de estar a ouvir a voz do meu pai soando na clareira do bosque e me ensinando:

- Quanto mais vazia a carroça, maior é o barulho que faz!

Wednesday, April 13, 2005

ENTREVISTANDO DEUS

Sonhei que tinha marcado uma entrevista com DEUS.
"Entre, falou DEUS:
"Então, você gostaria de ME entrevistar?"
"Se você tiver um tempinho", disse eu. DEUS sorriu e falou: "Meu tempo é eterno, suficiente para fazer todas as coisas; que perguntas você tem em mente?"

"O que mais O surpreende na humanidade?", perguntei
DEUS respondeu: "Que se aborreçam de ser crianças e queiram logo crescer e aí, desejem ser crianças outra vez. Que desperdicem a saúde para fazer dinheiro e aí percam dinheiro para restaurar a saúde. Que pensem ansiosamente sobre o futuro, esqueçam o presente e, dessa forma não vivam nem o presente, nem o futuro. Que vivam como se nunca fossem morrer e que morram como se nunca tivessem vivido."

Em seguida, a mão de DEUS segurou a minha e por um instante ficamos silenciosos; então eu perguntei:
"Como PAI, que lições de vida que VOCÊ quer que SEUS filhos aprendam?"
Com um sorriso, DEUS respondeu:
"Que aprendam que não podem fazer com que ninguém os ame. O que podem fazer é que se deixem amar. Que aprendam que o mais valioso não é o que têm na vida, mas quem têm na vida. Que aprendam que não é bom se compararem uns com os outros. Todos serão julgados individualmente sobre seus próprios méritos, não como um grupo na base da comparação! Que aprendam que uma pessoa rica não é a que tem mais, mas a que precisa menos. Que aprendam que só é preciso alguns segundos para abrir profundas feridas nas pessoas amadas e que é necessário muitos anos para curá-las. Que aprendam a perdoar, praticando o perdão. Que aprendam que há pessoas que os amam muito, mas que simplesmente não sabem como expressar ou demonstrar seus sentimentos. Que aprendam que dinheiro pode comprar tudo, excepto saúde e felicidade. Que aprendam que duas pessoas podem olhar para a mesma coisa e vê-la totalmente diferente. Que aprendam que um amigo verdadeiro é alguém que sabe tudo sobre eles e gosta deles mesmo assim. Que aprendam que não é suficiente que eles sejam perdoados, mas que se perdoem a si mesmos."

Por um tempo, permaneci sentado, desfrutando aquele momento. Agradeci a ELE pelo SEU tempo e por todas as coisas que ELE tem feito por mim e pela minha família. ELE respondeu: "Não tem de quê. Estou sempre aqui, 24 horas por dia. Tudo o que você tem a fazer é chamar por mim e EU virei. Você pode esquecer o que eu disse . Você pode esquecer o que eu fiz, mas jamais você esquecerá como eu te fiz sentir com essas palavras."

Tuesday, April 12, 2005

O MUNDO EM NÚMEROS

Se fosse possível reduzir a população do mundo inteiro a uma vila de 100 pessoas, mantendo a proporção do povo existente agora no mundo, tal vila seria composta de:
- 57 asiáticos
- 21 europeus
- 14 americanos (norte, centro e sul)
- 8 africanos
- 52 seriam mulheres
- 48 homens
- 70 não brancos
- 30 brancos
- 70 não cristãos
- 30 cristãos
- 89 seriam heterossexuais
- 11 seriam homossexuais
- 6 pessoas possuiriam 59% da riqueza do mundo inteiro e todos os 6 seriam dos EUA
- 80 viveriam em casas inabitáveis
- 70 seriam analfabetos
- 50 sofreriam desnutrição
- 1 estaria para morrer
- 1 estaria para nascer
- 1 teria computador
- 1 teria formação universitária

Se o mundo for considerado sob esta perspectiva, a necessidade de aceitação, compreensão e educação torna-se evidente. Considera ainda que se acordaste hoje mais saudável que doente, tens mais sorte que um milhão de pessoas, que não verão a próxima semana. Se nunca experimentaste o perigo de uma batalha, a solidão de uma prisão, a agonia da tortura, a dor da fome, tens mais sorte que 500 milhões de habitantes no mundo. Se podes ir à igreja sem o medo de ser bombardeado, preso ou torturado, tens mais sorte que 3 milhões de pessoas no mundo. Se tens comida no frigorífico, roupa no armário, um tecto sobre a cabeça, um lugar para dormir, considera-te mais rico que 75% dos habitantes deste mundo. Se tiveres dinheiro no banco, na carteira ou uns trocos em qualquer parte, considera-te entre os 8% das pessoas com melhor qualidade de vida no mundo. Se os teus pais estão vivos e ainda juntos, considera-te uma pessoa muito, muito rara. Se puderes ler esta mensagem, recebeste uma dupla benção, pois alguém pensou em ti e tu não estás entre os 2 mil milhões de pessoas que não sabem ler.

Vale a pena tentar:
a) trabalha como se nunca precisasses de dinheiro;
b) ama como se nunca ninguém te tivesse feito sofrer;
c) dança como se ninguém estivesse a olhar;
d) canta como se ninguém estivesse a ouvir;
e) vive como se aqui fosse o paraíso!

Monday, April 11, 2005

«Eu não pertenço a nenhuma das gerações revolucionárias. Eu pertenço a uma geração construtiva»

José Sobral de Almada Negreiros

Friday, April 08, 2005

Sentimentos

Era uma vez uma ilha onde moravam todos os sentimentos: a Alegria, a Tristeza, a Vaidade, o Amor e outros...
Um dia avisaram aos moradores desta ilha que a mesma ia ser inundada.Apavorado o Amor cuidou para que todos os sentimentos se salvassem.Ele disse: -Fujam a ilha será inundada!
Todos correram e pegaram seus barquinhos para irem até um morro bem alto.Quando estava quase se afogando, correu para pedir ajuda.Vinha vindo a Riqueza, ele disse:
-Riqueza, me leva com você?
-Não posso, meu barco está cheio de prata e ouro, você não vai caber.
Passou a Vaidade, e ele disse:
-Vaidade, me leva com você?
-Não posso você vai sujar meu barco novo.
Dai passou a Tristeza:
-Tristeza me leva com você?
-Ah! Amor, eu estou triste que preciso ir sozinha.
Passou a Alegria mas ela estava tão alegre e nem me ouvia!
-Já desesperado e achando que ia ficar só,o Amor começou a chorar.
Dai então passou um barquinho com um velhinho e falou:
-Sobe Amor eu te levo!
O Amor ficou tão feliz que até se esqueceu de perguntar o nome do velhinho.
Chegando no morro alto, ele perguntou à Sabedoria.
-Sabedoria quem era aquele velhinho que me trouxe até aqui?
-Ela respondeu o Tempo.
-Mas porque só o Tempo me trouxe aqui?
-Porque só o tempo é capaz de entender um grande Amor!!!

(Autor desconhecido)

Thursday, April 07, 2005

Conselhos para a Vida!

Um pensador russo chamado Gurdjieff, no início do século passado já falava em autoconhecimento e na importância de se saber viver.

Dizia ele: "Uma boa vida tem como base o sentido do que queremos para nós em cada momento e daquilo que, realmente, vale como prioridade. Assim sendo, ele traçou 20 regras de vida que foram colocadas em destaque no Instituto Francês de Ansiedade e Stress, em Paris.

Dizem os especialistas em comportamento que quem conseguir integrar 10 delas, com certeza, aprendeu a viver com qualidade. Ei-las:

1 - Faça intervalos de dez minutos a cada duas horas de trabalho, no máximo.Repita essas pausas na vida diária e pense em si, analisando as suas atitudes.

2 - Aprenda a dizer não sem se sentir culpado ou achar que magoou.Querer agradar a todos é um desgaste enorme.

3 - Planeie seu dia, sim, mas deixe sempre um bom espaço para o improviso, consciente de que nem tudo depende de si.

4 - Concentre-se apenas numa tarefa de cada vez.Por mais ágeis que sejam os seus quadros mentais, você tem limites.

5 - Esqueça, de uma vez por todas, que é imprescindível. No trabalho, em casa, no grupo habitual.Por muito que lhe custe, tudo continua a andar sem a sua actuação, excepto você mesmo.

6 - Abra mão de ser o responsável pelo prazer de todos.Não é você a fonte dos desejos, o eterno mestre de cerimónias.

7 - Peça ajuda sempre que necessário, tendo o bom senso de pedir às pessoas certas.

8 - Distinga os problemas reais dos imaginários e elimine os imaginários, porque são pura perda de tempo e ocupam um espaço mental precioso para coisas mais importantes.

9 - Tente descobrir o prazeres quotidianos como dormir, comer e tomar banho, sem também achar que é o máximo a conseguir na vida.

10 - Evite envolver-se na ansiedade e tensão alheia enquanto ansiedade e tensão.Espere um pouco e depois retome o diálogo, a acção.

11 - Família não é você, está junto de si, compõe o seu mundo, mas não é a sua própria identidade.

12 - Entenda que princípios e convicções fechadas podem ser um grande peso, a trave do movimento e da busca.

13 - É preciso ter sempre alguém em que se possa confiar e falar abertamente ao menos num raio de cem quilômetros. Não adianta estar mais longe.

14 - Saiba a hora certa de sair de cena, de se retirar do palco, de deixar a roda.Nunca perca o sentido da importância subtil de uma saída discreta.

15 - Não queira saber se falaram mal de si e nem se atormente com esse lixo mental; escute o que falaram bem, com reserva analítica, sem qualquer convencimento.

16 - Competir no lazer, no trabalho, na vida a dois, é óptimo... para quem quer ficar esgotado e perder o melhor.

17 - A rigidez é boa na pedra, não no homem.A ele cabe firmeza, o que é muito diferente.

18 - Uma hora de intenso prazer substitui com folga 3 horas de sono perdido. O prazer recompõe mais que o sono. Logo, não perca uma oportunidade de se divertir.

19 - Não abandone suas três grandes e inabaláveis amigas:a intuição, a inocência e a fé.

20 - Entenda de uma vez por todas, definitiva e conclusivamente:Você é o que se fizer.

Wednesday, April 06, 2005

Mensagem do Papa aos Jovens Portugueses

(...) Mas dirige-se também a vós, jovens!
Sim, a vós jovens: porque no vosso espírito está impressa, de modo particular, a problemática essencial da salvação, com todas as suas esperanças e tensões, sofrimentos e vitórias.
É sabido quanto vós sois sensíveis à tentação entre o bem e o mal, que existe no mundo e em vós próprios. No íntimo de vós mesmos, sofreis ao ver o triunfo da mentira e da injustiça; sofreis, por vos sentirdes incapazes de fazer triunfar a verdade e a justiça; sofreis, por vos descobrirdes, ao mesmo tempo, generosos e egoístas. Desejaríeis servir e colaborar sempre com as iniciativas em favor dos oprimidos, mas... sentis-vos traídos por tantas coisas e aliciados por outras que vos quebram as asas. Espontaneamente sois levados a rejeitar o mal e a desejar o bem. Mas, algumas vezes tendes dificuldade em ver e em aceitar que para chegar ao bem é preciso passar pela renúncia, o esforço, a luta, a cruz; sucedeu com aquele jovem que, desejando a perfeição e querendo seguir Jesus, não conseguia compreender e aceitar que era necessário renunciar aos bens materiais.
Contudo, caros jovens, para além destas tensões, possuís uma aptidão quase co-natural para evangelizar. Porque a evangelização não se faz sem entusiasmo juvenil, sem juventude no coração, sem um conjunto de qualidades em que a juventude é pródiga: alegria, esperança, transparência, audácia, criatividade, idealismo... Sim, a vossa sensibilidade e a vossa generosidade espontânea, a tendência para tudo o que é belo, tornam cada um de vós um “aliado natural” de Cristo. Para mais, só em Cristo encontrareis resposta aos próprios problemas e inquietações. E vós sabeis porquê: Ele foi o homem que mais amou; e deixou-nos um “código” do amor, o seu Evangelho que, lido pelo Concílio, “... proclama a liberdade dos filhos de Deus; rejeita toda a escravidão, derivada, em última análise, do pecado; respeita integralmente a dignidade da consciência e a sua livre decisão; sem cessar, recorda que todos os talentos humanos devem redundar em serviço de Deus e dos homens; e, finalmente, a todos recomenda a caridade” (Gaudium et spes, 41).
(...)
Jovens, rapazes e raparigas, filhos de Portugal dos nossos dias:
Olhai para tantos que vos precederam no passado, também eles filhos desta Pátria. Filhos da sua cultura e da sua língua. Das suas provações e da suas vitórias.
Quantos deles responderam, com a doação total da vida, ao apelo de Cristo! Da Rainha Santa Isabel a João de Deus, de António de Lisboa a João de Brito – para falar só de santos canonizados – por caminhos diferentes, todos eles se moveram na caridade de Deus, enamorados do ideal da verdade e do amor, movidos pelo Espírito e Cristo. E quem poderá dizer, perante o vosso entusiasmo e alegria, que os jovens portugueses de hoje são menos interessados, menos disponíveis e menos atentos a Cristo que os do passado? Sim, Cristo confia em vós! A Igreja confia em vós! O Papa confia em vós!
Acolhei, amados jovens, acolhei uma vez mais o chamamento de Cristo: Sede testemunhas d’Ele!

in VIAGEM APOSTÓLICA EM PORTUGAL
MISSA PARA OS JOVENS
HOMILIA DO PAPA JOÃO PAULO II Lisboa, 14 de maio de 1982

Tuesday, April 05, 2005

Asas

Muito tempo atrás... depois do mundo ser criado e da vida completá-lo, houve um dia, numa tarde de céu azul e calor ameno um encontro entre Deus e um de seus anjos.
Contam que Deus estava sentado, calado, sob a sombra de um pé de jabuticaba.
Lentamente Ele colhia uma ou outra fruta, saboreava sua criação negra e adocicada.

Fechava os olhos e pensava...
Permitia-se um sorriso piedoso
Mantinha seu olhar complacente.
Foi então que, das nuvens, um de seus muitos arcanjos desceu e veio em sua direcção...
Tinha asas lindas, brancas, imaculadas.

Ajoelhou-se aos pés de Deus e falou:
- Senhor, visitei sua criação como pediu,
fui a todos os cantos.
Estive no sul, no norte, no leste e oeste,
vi e fiz parte de todas as coisas...
Observei cada uma de suas crianças humanas,
e por ter visto, vim até o Senhor para entender o porquê...
Por que cada uma das pessoas sobre a terra tem apenas uma asa?
Nós anjos, temos duas...
Podemos ir até o amor que o Senhor representa sempre que desejarmos.
Podemos voar para a liberdade sempre que quisermos
Mas o humano, com sua única asa, não pode voar
Não podem voar com apenas uma asa...
Deus na brandura dos gestos, respondeu pacientemente ao
seu anjo:
"Sim, eu sei disso.
Sei que fiz os humanos com apenas uma asa"
Intrigado com a consciência absoluta de seu Senhor, o anjo queria entender e perguntou:
"Mas porque o Senhor deu aos homens apenas uma asa quando são necessárias duas para poder voar, para poder ser livre?"
Conhecedor de todas as respostas, Deus não teve pressa de falar...
Comeu outra jabuticaba e então respondeu:
" Eles podem voar sim, meu anjo
Dei aos humanos apenas uma asa para que eles pudessem voar mais e melhor que Eu ou vocês, meus arcanjos...
Para voar, meu amigo, você precisa de suas duas asas...
Embora livre, sempre estará sozinho.
Talvez da mesma maneira que Eu...
Mas os humanos...
Os humanos com sua única asa precisarão sempre dar as mãos para alguém a fim de terem suas duas asas.
Cada um deles tem na verdade, um par de asas, uma outra asa, em algum lugar do mundo que completa o par,
assim eles aprenderão a respeitar-se, pois ao quebrar a única asa de outra pessoa podem estar acabando com suas próprias chances de voar.
Assim meu anjo, eles aprenderão a amar verdadeiramente outra pessoa...
aprenderão que somente permitindo-se amar, eles poderão voar.
Tocando a mão de outra pessoa, em um abraço afetuoso, sincero, eles poderão encontrar a asa que lhes falta e poderão finalmente voar.
Somente através do amor irão chegar até onde estou... assim como você meu anjo, e eles nunca estarão sozinhos, quando forem voar".

Deus silenciou em seu sorriso.

O anjo compreendeu o que não precisava ser dito. Que possamos encontrar a nossa outra asa, para podermos voar!

(Autor desconhecido)

Monday, April 04, 2005

Homenagem a João Paulo II

Depois de uma semaninha de merecido descanso, regresso com o espírito lavado pelos ares da montanha, embora com o coração triste, especialmente porque já não se encontra entre nós esse grande líder espiritual da humanidade que é o Papa João Paulo II.

Assim hoje as linhas que aqui deixo são as suas últimas palavras ao mundo:

«Queridos irmãos e irmãs. Soa hoje o alegre Aleluia da Páscoa. A atual página do Evangelho de João ressalta que o Ressuscitado, na noite desse dia, apareceu aos apóstolos e mostrou-lhes suas mãos e feridas, sinais da dolorosa paixão impressos de forma indelével em seu corpo até mesmo depois da ressurreição.

Essas chagas gloriosas, que oito dias mais tarde foram tocadas pelo incrédulo Tomé, revelam a misericórdia de Deus, que amou tanto o mundo que lhe deu seu Filho unigênito. Este mistério de amor está no centro da atual liturgia do domingo ''In Albis'', dedicado ao culto da Divina Misericórdia.

À humanidade, que às vezes parece perdida e dominada pelo poder do mal, do egoísmo e do medo, o Senhor ressuscitado oferece seu amor que perdoa, reconcilia e faz ressurgir o ânimo a esperança. É o amor que transforma os corações e leva à paz. Quanta necessidade tem o mundo de compreender e de acolher a Divina Misericórdia!

Ó senhor, que com tua morte e ressurreição revele o amor do Pai, nós acreditamos em ti e com confiança te repetimos hoje: Jesus, confio em ti, tem misericórdia de nós e do mundo inteiro.

A solenidade litúrgica da Anunciação, que realizaremos amanhã, nos fará contemplar com os olhos de Maria o imenso mistério deste amor misericordioso que sai do coração de Cristo.

Ajudados podemos compreender o sentido verdadeiro da alegria pascal, que se baseia nesta certeza: Aquele que a Virgem levou em seu seio, que sofreu e morreu por nós, ressuscitou de verdade. Aleluia!. »