Monday, July 07, 2008

It's evolution baby!!

Pois é mais um fim de semana de momentos mágicos: Sexta fui brindada com um momento muito especial: concerto dos "Babylon Circus" no MUSA. Parabéns Alves e Criativa, grande festival, grandes convidados!!!

E no fim de semana foi o meu seminário de cura em Fátima. E não é que fiquei mesmo curada?!!
Cada vez mais me sinto noutra dimensão... Obrigada Esmeralda e Vitorino ;-)

Transcrevo aqui um texto, que é um dos novos códigos e que é aquele que eu acho importante reflectir neste momento:

Quarto Código - Desapego

1) Desapego não significa aderir à pobreza; significa despojamento.

2) Um nómada do Espírito não percorre o Caminho da Luz levando na bagagem os frutos podres dos caminhos anteriores. Sabendo que não os pode levar, decide livrar-se deles. Se não o fizer, o caminho parecerá longíssimo.

3) Um nómada do Espírito jamais poderá deixar de se desapegar da tendência para a gritaria, para que o silêncio possa surgir. Ele desapega-se da revolta para que a aceitação emerja, ao mesmo tempo que se desapega da inveja para que o desprendimento surja à luz.

4) Um nómada do Espírito sabe que o desapego não pode ser orientado apenas para as coisas físicas. Ele sabe que a posse de certas ideias que se transformaram em dogmas e certas emoções que se metamorfosearam em dependências são muito mais difíceis de transcender.

5) Um nómada do Espírito sabe que os três sentimentos mais difíceis de transcender são: o sentimento de perda (por morte, roubo, etc.); o sentimento de dependência (de pessoas, dinheiro, drogas, sexo, poder, etc.); o sentimento de abandono (por pessoas, entidades, etc.).

6) Um nómada do Espírito é aquele que decidiu deixar de usar o gume da espada que mata, para passa a usar o outro, que corta todas as dependências e apegos. Por isso, o único combate que merece a pena vencer é aquele que ocorre dentro da própria consciência.

7) Um nómada do Espírito verdadeiro aprendeu que, muitas vezes, uma coisa ou pessoa não estava presente na sua vida por ser essencial, mas por hábito. Depois, reconheceu que o hábito desencadeou um sentimento de posse. Finalmente, escolheu sair desse torvelinho.

8) Um nómada do Espírito verdadeiro está permanentemente pronto para abdicar – renunciar - de tudo o que conseguiu construir e arrecadar até ao momento, a fim de seguir em frente para outra conjuntura.

9) Um nómada do Espírito verdadeiro há muito se desapegou da ideia de querer saber qual é a sua missão. Sabendo-se livre, não permite ser condicionado seja pelo que for ou por quem for.

10) Um nómada do Espírito verdadeiro assimilou que o primeiro passo do Caminho é a neutralidade em relação às coisas do mundo e que o último é a desidentificação total e absoluta das coisas do mundo.

11) Embora a sensação de perda, no mundo, possa ser dolorosa, é ilusória espiritualmente falando. Por isso, um iluminado sabe que não pode perder, simplesmente porque não possui.

para mais informações consultar: http://www.velatropa.com/yasmin/

0 Comments:

Post a Comment

<< Home