Tuesday, November 11, 2008

"Poema sem técnica para uma amiga

Amo-te dez vezes ao quadrado.
E eu que vivo nos anos dois mil
Ter este amor e não o viver
Até parece condição do século passado

Praga, praga da certeza que não tem fim
Um amor ao sabor de uma vaga
Que te leva para longe mim

Queria eu perder a esperança e não dar atenção
Mas o coração
Segue soberbo em direcção ao tormento
Que desalento…

Carradas, carradas de nuvens
Não há razão que aguente
Porque o meu encontro contigo
Não está na cabeça, mas no ventre"

Que palavras belas com que uma amiga consegue me descrever....Obrigada minha querida! Podes não ter a técnica, mas a emoção foi toda captada...

3 Comments:

At 12:45 PM, Blogger Aninhas said...

"Ninguém pode conviver sozinho com a beleza que é capaz de perceber. E quanto a nós, que buscamos o Absoluto, e que construímos um jardim usando a nossa própria solidão, a Vida nos deixou a imensa paixão para aproveitar cada instante, com toda a intensidade." Khalil Gibran

 
At 10:33 PM, Blogger Gonzo said...

Oi! Só para dar os parabens à "falta de técnica"..Visto nessa altura ter contribuido com tão pouco, pode assim trazer à Luz um poema verdadeiramente Belo!

 
At 9:22 AM, Blogger Aninhas said...

atenção que o poema não é da minha autoria, mas publiquei aqui porque merece ser conhecido!

 

Post a Comment

<< Home