Thursday, May 27, 2010

Tempo

" A minha alma aconselhou-me
e exortou-me a medir o tempo com este ditado:
«Houve um ontem e haverá um amanhã.»
Até então, considerava o passado
como uma época perdida e votada no esquecimento,
E o futuro como uma era inalcançável;
Mas agora aprendi o seguinte:

No breve presente todo o tempo,
com tudo o que há no tempo,
se cumpre e realiza."

Poemas em Prosa
Khalil Gibran

Thursday, May 20, 2010

...e depois...A vida É

"A única realidade é a Vida.
A vida liberta a consciência para a escolha de forma nenhuma ou de infinitos múltiplos de triliões de formas, qualquer forma imaginável.

A consciência pode esquecer-se a si própria, se quiser. Pode inventar limites, começar ficções; pode fingir galáxias e universos e multiversos, buracos negros, buracos brancos, grandes explosões primitivas e fases estáveis, sóis e planetas, planos astrais e físicos. Vê tudo o que imagina: guerra e paz, doença e saúde, crueldade e ternura.

E sempre que quiser pode lembrar-se de quem é, recordar a realidade, recordar o Amor. Nesse instante, tudo muda..."

Richard Bach

Cherry, not feeling at home at all..



Sunday, May 16, 2010

O Filho Pródigo

«Um homem tinha dois filhos. O mais novo disse ao pai:
"Pai, dá-me a parte dos bens que me corresponde". E o pai repartiu os bens entre os dois.

Poucos dias depois o filho mais novo, juntando tudo, partiu para uma terra longínqua e por lá esbanjou tudo quanto possuía, vivendo dissolutamente. Tendo gasto tudo, houve grande fome nesse país e ele começou a passar privações. Então foi servir a um dos habitantes daquela terra, o qual o mandou para os seus campos guardar porcos. Bem desejava ele encher o estômago com as alfarrobas que os porcos comiam, mas ninguém lhas dava. E, caindo em si disse: Quantos jornaleiros de meu pai têm pão em abundância e eu, aqui morro de fome! Levantar-me-ei e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o Céu e contra ti, já não sou digno de ser chamado teu filho, trata-me como um dos teus jornaleiros. E, levantando-se, foi ter com o pai.

Ainda estava longe quando o pai o viu, e enchendo-se de compaixão, correu a lançar-se-lhe ao pescoço cobrindo-o de beijos. O filho disse-lhe: Pai pequei contra o Céu e contra ti, já não mereço ser chamado teu filho. Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a mais bela túnica e vesti-lha; ponde-lhe um anel no dedo e sandálias nos pés. Trazei o vitelo gordo e matai-o; comamos e alegremo-nos, porque este meu filho estava morto e reviveu, estava perdido e encontrou-se. E a festa principiou.

Ora, o filho mais velho estava no campo. Quando regressou, ao aproximar-se de casa, ouviu a música e as danças. Chamou um dos servos, perguntou-lhe o que era aquilo. Disse-lhe ele: "O teu irmão voltou e teu pai matou o vitelo gordo, porque chegou são e salvo". Encolerizado, não queria entrar; mas o pai saiu e instou com ele. Respondendo ao pai, disse-lhe: "Há já tantos anos que te sirvo sem nunca transgredir uma ordem tua e nunca deste um cabrito para me alegrar com os meus amigos; e agora, ao chegar esse teu filho que te consumiu os teus bens com meretrizes, mataste-lhe o vitelo gordo". O pai respondeu-lhe: "Filho, tu sempre estás comigo e tudo o que é me é teu.

Mas tínhamos de fazer uma festa e alegrar-nos, porque este teu irmão estava morto e reviveu: estava perdido e encontrou-se"».

Sermão de S. AGOSTINHO Sobre o Filho Pródigo (Sermão 112A - sobre Lc 15,11-32)

Thursday, May 13, 2010

13/05/2010


Hoje entrei pela primeira vez na nova Igreja ao pé da minha casa - Sra.da Boa Nova, a Boa Nova que nasceu em cima do antigo Fim do Mundo, só pode ser bom presságio! Ou talvez não, para aqueles que gostariam que o Mundo terminasse mesmo em 2012 para se confortarem perante as suas consciências, afinal se vamos morrer todos de que adianta ser bonzinho para ir para o céu? lol....não posso evitar rir, vendo o homem tentar explicar os mistérios da vida com a sua visão terrena!


A verdade é que ia entregar umas roupas para dar e mandaram-me procurar uma irmã dentro da igreja. Entrei, ia com bastante curiosidade, pois a igreja é grandiosa por fora. Lá dentro crianças rezavam o terço e a um canto a irmã preparava uma apresentação sobre o Papa João Paulo II. Foi então que esta imagem me cativou, me transportou e me emocionou como há muito não me emocionava numa igreja. Só então me apercebi do dia que era.


Fica aqui a imagem, a emoção essa, é impossível de descrever!


"Ama e faz o que quiseres; seja que te cales, cala-te por amor; seja que fales, fala por amor; seja que tu corrijas, corrige por amor; seja que tu perdoes, perdoa por amor.(Santo Agostinho, In Io. Ep. tr. 7, 8)"

Sunday, May 09, 2010

Benfica :)



Espera...

Não me digas adeus, ó sombra amiga,
Abranda mais o ritmo dos teus passos;
Sente o perfume da paixão antiga,
Dos nossos bons e cândidos abraços!

Sou a dona dos místicos cansaços,
A fantástica e estranha rapariga
Que um dia ficou presa nos teus braços...
Não vás ainda embora, ó sombra amiga!

Teu amor fez de mim um lago triste:
Quantas ondas a rir que não lhe ouviste,
Quanta canção de ondinas lá no fundo!

Espera... espera... ó minha sombra amada...
Vê que pra além de mim já não há nada
E nunca mais me encontras neste mundo!...

Florbela Espanca, in "Charneca em Flor"

Sunday, May 02, 2010

Roots I - Em homenagem à minha Mãe :-)

"José António Freire Sobral (Sobral de Monte Agraço, São Quintino, June 10, 1840 – Lisbon, April 19, 1905), was a rich farmer and a large exporter of coffee, cocoa and woods who made his fortune in São Tomé Island. He was the owner of the Roças Saudade and Santa Maria in the village of Trindade and was a Vocal of the Council of the Province of São Tomé e Príncipe and Regedor of the village of Trindade. He was made Commander of the Order of Agricultural Merit of Portugal.

He was the son of António Freire, an agricultural employee, and wife Joana Maria, both born in Sobral de Monte Agraço, São Quintino, from where he took his surname.

He married Mariana Emília de Sousa, without issue. He had however, before his marriage, eight natural children from three different mothers, and was the Godfather of his grandson José de Almada Negreiros. By Leopoldina Amélia de Azevedo, born in Benguela, he had five children. She lived in São Tomé Island, where she had four of their children. Since he refused to marry her she ran off back to Benguela, where she died of childbirth of her fifth child. She was a natural daughter of Manuel de Azevedo Pereira, born in Santarém, who lived in Benguela, where he had natural daughters by Luzia, an African woman born there. Their oldest natural child was daughter Elvira Freire Sobral (São Tomé Island, Mé-Zóchi District, Trindade, Roça Saudade,[1]São Tomé Island, December 29, 1896), who was recognized and raised by her father, married in São Tomé Island, Água Grande District, City of São Tomé, at the Parrish of Conceição, on April 30, 1892 António Lobo de Almada Negreiros and died at childbirth of and with her daughter. She studied in Coimbra, at the Colégio das Religiosas Ursulinas, where she won the fame of a skilled drawer.

Her half-brother Joaquim Freire Sobral was also an artist and a painter. "

...coisas que
se encontram na wikipédia...