Wednesday, June 09, 2010

Sobre as casas

"Constrói em sonhos
um abrigo no deserto
antes de construíres uma casa
dentro das muralhas da cidade."

- / -

"E dizei-me, povo de Orphalese,
o que tendes nestas casas?
E o que guardais com portas trancadas?

Tendes paz,
esse sereno ímpeto
que revela o vosso poder?

Tendes recordações,
essas abóbadas reluzentes
que assentam nos cumes do espírito?

Tendes beleza,
que conduz o coração
dos objectos de madeira e pedra
para a montanha sagrada?

Dizei-me, tendes tudo isto em vossas casa?

Ou tendes apenas bem-estar,
e desejo de bem-estar,
essa coisa furtiva
que entra em casa como hóspede,
e se converte em anfitrião,
e depois em amo?"

- / -

" No seu medo, os vossos avós
aproximaram-vos demasiado.

Esse medo há-de durar
mais algum tempo.

Durante mais algum tempo
as muralhas das cidades
hão-de separar os vossos lares
dos vossos campos."

- / -

" A tua casa não sonha?
E, em sonhos, não parte
da cidade para o bosque
ou para o alto da colina?"

- / -

" Mas tu, filho do espaço,
tu, inquieto na quietude,
não serás apanhado nem domado.

A tua casa não será âncora, mas mastro.

Não será o penso brilhante que cobre a ferida,
mas a pálpebra que protege o olho.

Não encolherás as asas para caber nas portas,
nem baixarás a cabeça para evitar os tectos,
nem respirarás a medo para que as paredes não cedam e caiam sobre ti.

Pois tu não habitarás o túmulo
feito pelos mortos para os vivos.

E, apesar da sua magnificiência e esplendor,
a tua casa nunca conterá o teu segredo
nem abrigará o teu anseio.

Pois aquilo que em ti é infinito
habita a mansão celeste,
cuja porta é a bruma matinal,
e cujas janelas são as canções
e os silêncios da noite."

In "O Profeta"

- / -

"Se não fosse pelos hóspedes,
todas as casas seriam túmulos"

In "Areia e Espuma"

0 Comments:

Post a Comment

<< Home