Saturday, July 03, 2010

ABEL MENDES (O PARDAL) Um feliz oliveirense

"
Deixou d'estar entre nós
O Amigo Abel Pardal
De seu nome Abel Mendes
Senhor de muitos afazeres
E de muito poucos "teres"...

Andou por lá muito tempo
A vender ao desbarato
A sua rica inocência...

Não sabia dizer não
Embora o não fosse justo...
Ia aprendendo a lição
Com muito penoso custo...

Sabia um pouco de tudo
De tudo um pouco sabia
E de biscate em biscate
O Abel se propunha
Remediar o desacato
D'alguma súbita avaria...

Depois de muito brincar
Com a sua sorte e desgraça
Regressou à sua terra,
Oliveira do Hospital,
Cheio de amor e saudade...

E poeta sem o saber
Continuou a inventar
E a viver o seu poema...

Montou caixa d'engraxar
Com pomada da melhor
Como se tal profissão
Já a soubesse de cor!

Numa fase mais recente
Sempre o mesmo Abel de sempre:
O coração sempre aberto
À fraterna convivência...

Liberdade era consigo,
Opressão nunca mais...
Ainda viu nascer o trigo
Dos seus nobres ideais!...

Deixou d'estar entre nós
O amigo Abel Pardal...
A família o chorou
E os amigos também
E toda a gente em geral
Tem saudades do Pardal
Do Abel que Deus lá tem!..."

de Adelino da Costa Gonçalves
"Últimos Poemas"
(Edição Póstuma)
1990

0 Comments:

Post a Comment

<< Home