Friday, August 27, 2010

O perdão é a chave da felicidade

"
1. Eis aqui a resposta para a tua busca de paz. Eis aqui a chave do significado em um mundo que parece não fazer sentido. Eis aqui o caminho para a segurança nos perigos aparentes que parecem ameaçar-te a cada esquina, trazendo a incerteza para todas as tuas esperanças de jamais achar a quietude e a paz. Aqui todas as perguntas são respondidas, aqui está finalmente assegurado o fim de toda a incerteza.
2. A mente que não perdoa é cheia de medo e não oferece espaço ao amor para ser ele mesmo, nenhum lugar onde ele possa estender as suas asas em paz e elevar-se acima do tumulto do mundo. A mente que não perdoa é triste, sem esperança de descanso e de libertar-se da dor. Ela sofre e habita na miséria, espreitando a escuridão sem ver, mas certa do perigo que lá a ronda.
3. A mente que não perdoa é dilacerada pela dúvida, confusa a respeito de si mesma e de tudo o que vê; medrosa e com raiva, fraca e ameaçadora, com medo de seguir adiante, com medo de ficar; com medo de acordar ou de adormecer, com medo de qualquer som, todavia com mais medo ainda do silêncio; aterrorizada pela escuridão e no entanto ainda mais aterrorizada com a aproximação da luz. O que pode a mente que não perdoa perceber, senão a sua própria perdição? O que pode contemplar, senão a prova de que todos os seus pecados são reais?
4. A mente que não perdoa não vê equívocos, só pecados. Olha para o mundo com olhos que não vêem e grita ao ver as suas próprias projecções erguerem-se para atacar a sua miserável paródia de vida. Ela quer viver, mas deseja estar morta. Quer o perdão, mas não vê esperança alguma. Quer escapar, mas não pode conceber nenhuma saída, porque vê o pecado em toda a parte.
5. A mente que não perdoa está em desespero, sem a perspectiva de um futuro que possa lhe oferecer alguma coisa que não seja mais desespero. No entanto, considera o seu julgamento do mundo como irreversível e não vê que ela própria se condenou a esse desespero. Pensa que não pode mudar, pois o que vê dá testemunho de que o seu julgamento está correcto. Não pergunta, porque pensa que sabe. Não questiona, pois tem a certeza de que está certa.
6. O perdão é adquirido. Não é inerente à mente que não pode pecar. Como o pecado é uma ideia que ensinaste a ti mesmo, o perdão também tem que ser aprendido por ti, mas com um Professor diferente de ti, Aquele que representa o outro Ser em ti. Através Dele, aprendes a perdoar o ser que pensas que fizeste e a deixá-lo desaparecer. Assim, devolves a tua mente unificada Àquele Que é o teu Ser e Que jamais pode pecar.
7. Cada mente que não perdoa te apresenta uma oportunidade para ensinar à tua própria mente como perdoar a si mesma. Cada uma delas espera a libertação do inferno por teu intermédio e se volta para ti implorando-te o Céu aqui e agora. Ela não tem esperança, mas vens a ser a sua esperança. E sendo a sua esperança, vens a ser a tua própria. A mente que não perdoa tem que aprender através do teu perdão que foi salva do inferno. E ao ensinares a salvação, aprenderás. No entanto, todo o teu ensino e o teu aprendizado não virão de ti, mas do Professor Que te foi dado para mostrar-te o caminho.
8. Hoje praticaremos aprender a perdoar. Se estiveres disposto hoje podes aprender a pegar a chave da felicidade e usá-la a favor de ti mesmo. Dedicaremos dez minutos de manhã e mais dez à noite ao aprendizado de dar o perdão e também de recebê-lo.
9. A mente que não perdoa não acredita que dar e receber são a mesma coisa. Mas hoje tentaremos aprender que são uma só, praticando o perdão em relação a alguém que pensas ser um inimigo e alguém que consideras como um amigo. E ao aprender a vê-los como um só, estenderemos a lição a ti mesmo e veremos que no seu escape estava incluido o teu.
10. Dá início aos períodos de prática mais longos pensando em alguém de quem não gostes, que pareça irritar-te ou que te cause contrariedade se vieres a encontrá-lo; alguém que de facto desprezes ou apenas tentes ignorar. Não importa a forma que tome a tua raiva. Provavelmente já o escolheste. Ele servirá.
11. Agora fecha os olhos e vendo-o na tua mente, olha para ele por um momento. Tenta perceber nele alguma luz em algum lugar, um pequeno lampejo que nunca havias notado. Tenta achar uma pequena centelha de luz brilhando através do feio retrato que manténs dele. Olha para esse retrato até que vejas uma luz em algum ponto e em seguida tenta deixar que essa luz se estenda até cobri-lo, fazendo com que o retrato seja bonito e bom.
12. Olha por um momento para essa percepção mudada e volta a tua mente para aquele que chamas de amigo. Procura transferir para ele a luz que aprendeste a ver em torno do teu antigo inimigo. Percebe-o agora como mais do que um amigo para ti, pois nesta luz, a sua santidade te mostra o teu salvador, salvo e pronto a curar, curado e íntegro.
13. Então, deixa que ele te ofereça a ti a luz, que vês nele e deixa que o teu "inimigo" e o teu amigo se unam, abençoando-te com o que deste. Agora, és um com eles e eles contigo. Agora foste perdoado por ti mesmo. Não esqueças, ao longo do dia, o papel que o perdão desempenha em trazer a felicidade a cada mente que não perdoa, incluindo entre elas a tua. Dizes a ti mesmo a cada hora:
O perdão é a chave da felicidade. Despertarei do sonho de que sou mortal, falível e cheio de pecado, e saberei que sou o Filho perfeito de Deus."
in «Um curso em milagres» lição 121

Thursday, August 26, 2010

Make Change Happen - Boom 2010





































Friday, August 20, 2010

Girassois que nasceram ha uns dias


:) cada vez gosto mais do meu jardim

Coríntios 5

"O ministério da reconciliação - O amor de Cristo é que nos impulsiona, quando consideramos que um só morreu por todos e consequentemente todos morreram. Ora, Cristo morreu por todos, e assim, aqueles que vivem, já não vivem para si, mas para Aquele que por eles morreu e ressuscitou. Por isso, doravante não conhecemos mais ninguém pelas aparências. Mesmo que tenhamos conhecido Cristo segundo as aparências, agora já não O conhecemos assim. Se alguém está em Cristo, é nova criatura. As coisas antigas passaram; eis que uma realidade nova apareceu. Tudo isto vem de Deus, que nos reconciliou consigo por meio de Cristo e nos confiou o ministério da reconciliação. Pois era Deus quem reconciliava consigo mesmo o mundo por meio de Cristo, não levando em conta os pecados dos homens e colocando em nós a Palavra da reconciliação.

Sendo assim exercemos a função de embaixadores em nome de Cristo, e é por meio de nós que o próprio Deus vos exorta. Em nome de Cristo, suplicamos: reconciliai-vos com Deus. Aquele que nada tinha a ver com o pecado, Deus fê-l'O pecado por causa de nós, a fim de que por meio d'Ele sejamos reabilitados por Deus."

Saturday, August 14, 2010

Liberdade

"
...
Até que um dia corajosamente
Olhei noutro sentido, e pude, deslumbrado,
Saborear enfim,
O pão da minha fome
- Liberdade que estais em mim,
...
"

Miguel Torga

Friday, August 13, 2010

Eclesiásticos 36 - O valor da mulher

"A mulher aceita qualquer marido, mas as mulheres não são todas iguais.
A beleza da mulher alegra o rosto e supera todos os desejos do homem. Se nos seus lábios existe bondade e doçura, o seu marido é o mais feliz dos homens. Quem adquire esposa tem o começo da fortuna, pois ela é auxiliar semelhante a ele e coluna de apoio. Onde não há cerca, a propriedade é saqueada, e onde não há mulher, o homem vagueia gemendo. Quem confia em ladrão esperto que corre de cidade em cidade? Assim é o homem que não tem ninho e se deita onde a noite o surpreende."

Thursday, August 12, 2010

Leitura Recomendada - 10ª Revelação

Porque mais vale tarde, que nunca :-)
“Todos os seres humanos da Terra estavam a migrar para duas posições antagónicas: uma que empurrava para uma imagem vaga mas cada vez mais nitida de transformação, e a outra que resistia, sentindo que valores importantes contidos na antiga mundividência estavam a ser perdidos para sempre.

Podíamos ver que, na dimensão da Vida Depois da Morte, se sabia que esse conflito seria o nosso maior desafio à espiritualização da dimensão física – sobretudo se a polarização se tornasse extrema. Neste caso, ambos os campos se entricheirariam numa projecção irracional do mal no outro, ou pior, poderiam acreditar nos intérpretes literais do fim dos tempos e começar a pensar que o futuro que se avizinhava estava para além da sua influência e, portanto desistir completamente.

Para encontrar a Visão do Mundo e solucionar o problema da polarização, podíamos ver que a nossa intenção da Vida Depois da Morte era discernir verdades mais profundas dessas profecias. Tal como em todas as Escrituras, as visões em Daniel e no Apocalipse eram intuições divinas proveninentes da Vida Depois da Morte para o plano físico e, por isso, deveriam ser compreendidas como algo envolvido no simbolismo da mente de quem as vira, segundo um processo aparentado com o sonho. As profecias previam um futuro fim da história humana na Terra, mas um «fim» que, para os crentes, seria muito diferente do experimentado pelos não crentes.

Os que pertenciam a este último grupo eram vistos a sofrer um fim da história que começaria com grandes catástrofes, desastres ambientais e economias a desmoronarem-se. Então, no ponto mais alto do medo e do caos, surgiria um líder forte, o Anticristo, que prporia restabelecer a ordem, mas apenas se os indíviduos acedessem a renunciar às suas liberdades e a trazer nos seus corpos «a marca da besta», de modo a participarem na economia automatizada. Mais tarde, esse líder forte proclamar-se-ia um deus e tomaria pela força qualquer país que resistisse ao seu domínio, declarando guerra primeiro às forças do Islão, em seguida aos Judeus e aos Cristãos, acabando por precipitar todo o mundo num ardente Armagedão.

Por outro lado, para os crentes, os profetas das antigas Escrituras previam um final muito mais agradável para a história. Permanecendo fiéis ao espírito, estes crentes receberiam corpos espirituais e seriam arrebatados para outra dimensão chamada Nova Jerusalém, mas seriam capazes de entrar e sair na esfera do físico. Mais tarde, num determinado ponto da guerra, Deus regressaria em plenitiude para pôr fim à luta, restaurar a Terra e fazer cumprir mil anos de paz em que não haveria doença ou morte, e tudo seria transformado, incluindo os animais do mundo, que deixariam de comer carne. Em vez disso, «o lobo conviverá com o cordeiro... e o leão comerá palha, como o boi.»

(...)

Neste momento, nós temos de levar avante o desígnio. E era por isso que agora recaía sobre nós a resolução da polarização e ajudar a mudar aqueles indíviduos, (...), que ainda estavam tomados pelo Medo e se sentiam justificados para manipularem a economia tendo em vista os seus objectivos pessoais, justificados para assumirem o controlo do futuro.

(...)

A Décima Revelação – aprender a ter fé nas nossas intuições, lembrar a intenção do nosso nascimento, reter a Visão do Mundo – tudo isso se relaciona com a compreensão da essência da verdadeira oração.

(...)
A resposta é que quando rezamos de maneira correcta, não estamos a pedir a Deus que faça uma coisa. Deus está a inspirar-nos para agirmos em seu lugar, para executarmos a sua vontade na Terra. Somos os emissários do divino neste planeta. A verdadeira oração é o método de visualização, que Deus espera que usemos quando discernimos a sua vontade e a executamos na dimensão física. Venha a nós o seu reino, seja feita a sua vontade, assim na Terra como no Céu.

Neste sentido, cada pensamento, cada expectativa –tudo o que visualizamos a acontecer no futuro – é uma oração, e tem tendência para criar esse mesmo futuro. Mas nenhum pensamento, desejo ou medo é tão forte como uma visão que está em harmonia com o divino. É por isso que chamar a Visão do Mundo, e mantê-la, é importante: assim, saberemos pelo que rezar, que futuro visualizar.

(...)

A polarização do Medo ainda está em ascenção e, se pretendermos solucioná-la e ir em frente, cada um de nós tem de participar pessoalmente. Temos de observar com muito cuidado os nossos pensamentos e expectativas e de nos conter sempre que tratarmos outro ser humano como inimigo. Podemos defender-nos e refrear determinadas pessoas mas, se as desumanizarmos, aumentamos o Medo.”

Wednesday, August 11, 2010

Recordando a Profecia Celestina

Estou neste momento a ler a 10ª revelação, passados alguns 15 anos de ter lido a Profecia. Não deve ter sido à toa que não li este logo de seguida, agora estou em condições de o compreender: Não existe dicotomia bem/mal, tudo o que existe é Amor, e o que não é Amor é Medo, e o Medo não é mais do que essa ansiedade de recordar a nossa missão de Vida. A polarização do Medo que assistimos à medida que a humanidade percorre o caminho das nove revelações é a derradeira tentativa de perversão do processo. Depois há as pessoas que incorporam esse medo e o tentam trazer para as nossas vidas, é delas que procurei distanciar-me!

O único caminho é prosseguir guiando-nos pelas nossas intuições/coincidências (que vão sendo cada vez mais sincronas e milagrosas) e com uma fé inabalável. E claro, a melhor forma de sabermos se estamos no nosso caminho é ir verificando que sempre que nos mantemos lá, the universe provides!

Aqui ficam as primeiras nove revelações, para refrescar a memória:

"
1. Estamos redescobrindo que vivemos em um mundo profundamente misterioso, cheio de repentinas coincidências e encontros sincronísticos que parecem do destino.

2. Quanto mais pessoas acordarem para esse mistério, mais poderemos criar uma nova visão mundial - redefinindo o universo como energia sagrada.

3. Nós descobriremos que tudo ao nosso redor, toda matéria, consiste e vem de uma energia divina que estamos começando a entender.

4. Sob esta perspectiva, podemos ver que seres humanos sempre se sentiram inseguros e desconectados da fonte sagrada e também tentamos obter energia dominando um ao outro. Essa é a causa de todo conflito humano.

5. A única solução é cultivar a sua conexão pessoal com o divino, uma transformação mística que nos preenche com energia e amor ilimitado, ampliando nossa percepção de beleza, e nos levando a um maior auto-conhecimento.

6. Com esse conhecimento/percepção, podemos liberar nosso padrão de comportamento controlador, e descobrir uma verdade específica, uma missão, que estamos aqui para compartilhar e que nos ajuda a evoluir a humanidade a este novo nível de realidade.

7. Na busca dessa missão, podemos descobrir uma intuição interior que nos mostra onde ir e o que fazer, e se tivermos interpretações positivas, nossa intuição atrairá um fluxo de coincidências que abre as portas para nossa missão.

8. Quando o número suficiente de pessoas entrar nesse fluxo evolucionário, sempre dando energia ao Eu Superior de todos que conhecermos, construiremos uma nova cultura onde nossos corpos evoluirão a altos níveis de energia e percepção.

9. Dessa forma, participaremos dessa longa jornada da evolução do Big Bang ao nosso propósito de vida: energizar nossos corpos, geração por geração até enxergarmos o céu"

Saturday, August 07, 2010

Sem palavras...



Wednesday, August 04, 2010

Filmes recomendados


... como dizia alguém no filme.... I guess there is nothing to say...

Tuesday, August 03, 2010

Mateus 11 - Os pobres envangelizam

"Naquele tempo, Jesus disse «Eu Te louvo, Pai, Senhor do Céu e da Terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e inteligentes, e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado. Meu Pai entregou-Me tudo a Mim. Ninguém conhece o Filho, a não ser o Pai, e ninguém conhece o Pai, a não ser o Filho e aquele a quem o Filho O quiser revelar.

Vinde a Mim todos os que estais cansados de carregar o peso do vosso fardo e Eu vos darei descanso. Carregai a minha carga e aprendei de Mim, porque sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas vidas. Porque a minha carga é suave e o meu fardo é leve»."

Sunday, August 01, 2010

Salmo 63 - O amor de Deus dá sentido à vida

"Ó Deus, Tu és o meu Deus, por Ti madrugo.
A minha alma tem sede de Ti,
a minha carne deseja-Te com ardor,
como terra seca, esgotada e sem água.
Sim, eu contemplava-Te no santuário,
vendo o teu poder e a tua glória.

O teu amor vale mais do que a vida:
os meus lábios Te louvarão.
Vou bendizer-Te durante toda a minha vida,
e ao teu Nome levantar as minhas mãos.
Vou saciar-me de azeite e gordura,
e, com sorrisos, a minha boca Te louvará.

Quando me lembro de Ti, no meu leito,
passo vigílias a meditar em Ti,
pois Tu foste um socorro para mim,
e, à sombra das tuas asas, eu grito de alegria.
A minha alma está ligada a Ti,
e a tua direita me sustenta.

Quanto aos que me querem destruir,
irão todos para as profundezas da Terra.
Serão entregues à espada,
e vão tornar-se pasto de chacais.
O rei, porém, alegrar-se-á com Deus,
os que juram pelo seu Nome, felicitar-se-ão,
quando a boca dos mentirosos for tapada."