Saturday, June 04, 2011

2 - A história da Terra do ponto de vista estelar

O planeta Terra é regido por dois grandes organismos: o Conselho Estelar e o Conselho da Terra. Embora ambos trabalhem em estreita cooperação, nem sempre reúnem em conjunto. Não obstante, as decisões de um nunca vão contra as decisões do outro. E não há oposições individuais.

O Conselho Estelar é constituído por várias entidades de alto gabarito, com missões específicas ao nível da Criação deste universo. Estão incluídos neste Conselho os Departamentos de Sananda e de Miguel (e de outros de que falaremos mais tarde), aos quais estão atribuídos grandes responsabilidades directivas. No entanto, não estão nem acima nem abaixo de quaisquer outros. Eles são, simplesmente. Quanto a mim, direi que sou uma pequena alma de um desses Departamentos. Não revelarei qual deles é, pois vocês são muitos excitáveis a estas questões! Os membros do Conselho Estelar não impõem nada a ninguém. Mas por serem mónadas superiores, podem decidir o destino de muitas outras almas. A característica principal destas altas entidades é a sua cooperação com outras mónadas, habilitadas a projectar muitas e muitas almas para Terra, dando orientações quanto à forma como esse processo deve decorrer.

O Conselho da Terra é constituído por um grupo de Guias (grandes almas que, depois de um ciclo de encarnações na Terra, cumprem um serviço de resgate à Terra, em ligação directa com a sua mónada), por um grupo de Xamãs/sacerdotes da Terra (cuja função é consultiva, não deliberativa), por representantes dos Reinos Coadjuvantes, pela Grande Fada do Amor - a Grande Venusiana - e por outros seres de nunca ouviram falar. A sua energia conjunta faz parte do Conselho Consultivo, que é um sector do Conselho da Terra que trata dos assuntos relacionados especificamente com os seres humanos. Por exemplo: quem se entrega ao trabalho de encaminhamento daqueles seres que, tendo abandonado o corpo físico continuam envoltos na energia da encarnação, sintoniza com a frequência vibracional deste Conselho, mesmo que não tenha consciência disso.

O que é que isto tem a ver com a história da Terra, vista de um ponto de vista estelar? Acontece que estes dois Conselhos, em união e cooperação, têm decidido muito do que se tem passado. Aqueles que se sentem mais desapontados com a forma como as coisas têm vindo a acontecer ao longo das eras, devem reprimir a vontade de os maltratar, porque tudo o que se passou, devido à sua extrema importância, sempre foi seguido passo a passo, dando a máxima atenção a cada pormenor. A história da Terra resume-se, pois, a um complexo conjunto de aprendizagens sobre a maneira como o Espírito pode expressar a mestria superior nas suas próprias dimensões mais densas. Se isto fosse uma parábola, eu diria:

“O Grande Mestre, decidindo auto-conhecer-se, disse aos seus discípulos: Vou emitir uma parte da minha própria essência para o planeta X, a qual se terá esquecido de quem sou e do que já aprendi. Assim farei, pois quero saber até que ponto perco as minhas características e como serei ao expressar-me através de uma manifestação física altamente densa.

Um discípulo disse-lhe: Não podes fazer isso, Mestre. Tu és Luz! Tu és o Amor e a Sabedoria. Como podes fazer isso a ti mesmo?

O Grande Mestre respondeu: Como posso eu ser Luz, Amor e Sabedoria se não sei expressá-las em todas as situações, mesmo as mais adversas? Eu tenho de aprender a fazer isso, para ser realmente o Grande Mestre que sou.

O Grande Mestre desceu ao planeta X, esqueceu-se de si e passou por uma aprendizagem de milhões de anos até que, finalmente, conseguiu ultrapassar os rigores da extrema densidade vibracional. “

Do ponto de vista estelar, está é a história da Terra: almas superiores a aprenderem a ser mestres, mesmo ao nível do que se considerava impossível; almas superiores, que se voluntariaram para fazer uma aprendizagem alquímica da matéria: um processo jamais experimentado em nenhum outro lugar do cosmos. Já sabiam disto, não é verdade?

Então, e o sofrimento? As memórias dolorosas? As vicissitudes do corpo emocional?

Meus queridos, no vosso nível superior, isso não passa de insignificâncias. É só quando estão metidos num corpo biológico, limitados pelo plano físico/mental/emocional, que essas questões ganham relevância! Mas esses breves períodos de tempo vividos na Terra são nada, quando comparados com o resto da vossa existência na chamada “eternidade”.

0 Comments:

Post a Comment

<< Home